Este blog é direcionado a todos que se interessam pela arte dramática.Além dos meus textos,o blog possui contribuições de outros autores. AVISO: Esses textos devem ser utilizados somente com a finalidade de estudo e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome do autor.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Exemplos de Jogos Dramáticos

Jogos Dramáticos - A substância do espaço

  Jogo dramático, desta vez de Viola Spolin

A. CAMINHAR NO ESPAÇO
Grupo grande (não é necessário platéia)
Peça aos alunos-atores para se moverem pelo palco, dando substância ao espaço na medida em que caminham. Eles não devem sentir ou mostrar o espaço como se fosse um material conhecido (água, lodo, melado etc.), mas devem explorá-lo como uma substância totalmente nova e desconhecida.

INSTRUÇÕES: Atravesse essa substância e estabeleça contato com ela. Não dê um nome a ela - ela é o que é! Use seu corpo todo para estabelecer contato! Sinta contra o queixo! O nariz! O joelho! Os quadris!
Se os jogadores tentarem usar somente as mãos, faça-os ficarem com elas junto ao corpo para que se movam como uma massa só.
Continue dando instruções: Empurre-a. Explore. Você nunca sentiu essa substância antes. Faça um túnel. Volte pelo espaço que seu corpo moldou. Faça a substãncia voar. Movimente-a. Faça ondas.

SPOLIN, Viola (2003) Improvisação para o Teatro. São Paulo: Edições Perspectiva, pág. 73-74 

.....................................................................................................................

Jogos Dramáticos - O urso de Poitiers

Mais um Jogo Dramático, desta vez de Augusto Boal


O urso de Poitiers
Um participante é escolhido para ser o urso de Poitiers (cidade francesa onde se pratica esse jogo). Dá as costas aos outros, que são os lenhadores. Estes devem estar trabalhando, em mímica. O urso deve emitir um enorme rugido, todos os lenhadores caindo no chão ou ficando imóveis mesmo de pé, sem fazer o menor movimento, totalmente congelados. O urso se aproximará de cada um deles, rugirá quanto quiser, poderá tocá-los, fazer-lhes cócegas, empurrá-los, tudo que puder para fazer com que se mexam, riam, para obrigá-los a mostrar que estão vivos. Se isso acontecer, o lenhador se transformará em urso também, e os dois ursos irão fazer a mesma coisa com os outros lenhadores, que continuarão tentando não se mexer. Em seguida três, quatro ursos etc.
Esse exercício-jogo é muito curioso, porque produz o efeito contrário ao que seria o seu objetivo. O princípio é: se o lenhador adormecer os seus sentidos, se conseguir não sentir nada, se se fingir de morto, o urso não o atacará, porque os ursos não devoram mortos. A instrução "não sentir nada" provoca exatanente a reação oposta, e todos os sentidos se tornam hiperativados. Sente-se mais, escuta-se melhor, vê-se o que não se via, cheira-se o que não se cheirava - só fica de for ao paladar. O medo nos hipersensibiliza.


BOAL, Augusto (2005) Jogos Para Atores e Não-Atores. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, pág. 111

 ........................................................................................................


Jogos Dramáticos - O teu lugar favorito

Começarei a colocar aqui jogos dramáticos de modo a esclarecer melhor o que é um jogo dramático e a difundir jogos e livros que são uteis a quem queira mexer com a fantasia dos corpos e vozes de grupos.


A referência do livros segue sempre abaixo.




O teu lugar favorito
Pense num lugar agradável ou que lhe agrade - como um castelo, uma floresta, um jardim zoológico ou um pátio - e faça de conta que está a guiar o grupo através dele. Por exemplo, no castelo mostre-lhes uma passagem secreta, uma escadaria que range e os retratos pendurados num corredor. A visita não deverá demorar mais de um minuto. Quando acabar o tempo, escolha um jogador e peça-lhe para mostrar o seu lugar preferido ao grupo. Quando esse jogador tiver acabado, peça-lhe que escolha outro jogador para continuar o jogo e por aí adiante.
Os outros participantes deverão ficar imediatamente envolvidos na história. Quando o primeiro participante acabar e apontar outro participante, este deverá continuar num ambiente totalmente diferente.


ROOYACKERS, Paul (2003) 101 jogos dramáticos. Porto: Asa Editores S.A. pág.44

Nenhum comentário:

Postar um comentário